INSSNotícias

Decisão confirmada por Haddad hoje (15/07) abala todos aposentados e beneficiários ativos do INSS que recebem R$1.412 ou até mais

Decisão confirmada por Haddad hoje (15/07) abala todos aposentados e beneficiários ativos do INSS

Decisão confirmada por Haddad hoje (09/07) abala todos aposentados e beneficiários ativos do INSS
Decisão confirmada por Haddad hoje (09/07) abala todos aposentados e beneficiários ativos do INSS | Foto: Wilson Dias / Ag. Brasil

Recentemente, uma decisão do ministro da Fazenda, Fernando Haddad, afetou significativamente os aposentados do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). A polêmica gira em torno da chamada Revisão da Vida Toda, uma medida que altera a forma como são calculados os benefícios dos aposentados.

Essa revisão permitiria que as contribuições feitas antes de 1994 fossem consideradas no cálculo das aposentadorias, potencialmente aumentando os valores recebidos pelos beneficiários. No entanto, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu a favor da União, mantendo a regra atual e frustrando as expectativas de muitos aposentados que esperavam por uma reavaliação dos seus benefícios.

Decisão de HADDAD impacta beneficiários do INSS

Além dos aposentados, a decisão de Haddad também tem implicações para outros beneficiários do INSS. A manutenção da regra atual significa que aqueles que contribuíram antes de 1994 não verão suas contribuições antigas refletidas nos valores atuais dos benefícios.

Segundo informações do portal FDR, se a revisão fosse aprovada, isso poderia resultar em um aumento significativo nos valores pagos a esses beneficiários, o que acarretaria um impacto financeiro considerável para o governo.

O ministro Haddad destacou que, embora a decisão do STF mantenha a regra como está, a discussão sobre a Revisão da Vida Toda continua a ser um tema importante para muitos que aguardam por mudanças nas políticas de cálculo dos benefícios previdenciários.

“Se não fosse a decisão do Supremo, nós iríamos ter que fixar em 0,5% de déficit para o ano que vem, porque iria custar R$60 bilhões por ano. O Supremo deu ganho de causa para a União e nos permitiu manter a meta para 2025”, disse ele à Globo News.

O que é a REVISÃO DA VIDA TODA?

A Revisão da Vida Toda é uma medida proposta para alterar a forma de cálculo dos benefícios do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) no Brasil. Atualmente, o cálculo das aposentadorias considera apenas as contribuições feitas a partir de julho de 1994, quando entrou em vigor o Plano Real.

A revisão, no entanto, sugere que todas as contribuições feitas ao longo da vida do trabalhador, inclusive as anteriores a 1994, sejam incluídas no cálculo do benefício. Essa mudança pode beneficiar especialmente aqueles que tiveram altos salários antes de 1994, permitindo um aumento significativo no valor de suas aposentadorias.

Apesar de ser uma demanda de muitos aposentados, a Revisão da Vida Toda tem encontrado resistência no sistema judiciário e no governo. Em março, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu contra a aplicação da revisão, mantendo a regra atual que exclui as contribuições anteriores a 1994. A decisão foi baseada em argumentos de impacto financeiro e sustentabilidade do sistema previdenciário.

No entanto, a discussão permanece em aberto, com muitos aposentados e especialistas ainda defendendo a revisão como uma forma mais justa de calcular os benefícios previdenciários.

4 Comentários

  1. Sou aposentado desde 2094. (por tempo de contribuição) Comecei a receber pouco mais que dois salários mínimos na época. Com as constantes mudanças do sistema previdenciário, recebo hoje um MÍNIMO. Gostaria de uma revisão no meu benefício, tenho documento para comprovar mais contribuição para o benefício especial, (INSALUBRIDADE-Fotogravador)

    1. Daniel Barros da Silvadisse:
      16/07/2024 às 02:25
      Sou aposentado desde 2094. (por tempo de contribuição) Comecei a receber pouco mais que dois salários mínimos na época. Com as constantes mudanças do sistema previdenciário, recebo hoje um MÍNIMO. Gostaria de uma revisão no meu benefício, tenho documento para comprovar mais contribuição para o benefício especial, (INSALUBRIDADE-Fotogravador)

  2. Daniel Barros da Silvadisse:
    16/07/2024 às 02:25
    Sou aposentado desde 2094. (por tempo de contribuição) Comecei a receber pouco mais que dois salários mínimos na época. Com as constantes mudanças do sistema previdenciário, recebo hoje um MÍNIMO. Gostaria de uma revisão no meu benefício, tenho documento para comprovar mais contribuição para o benefício especial, (INSALUBRIDADE-Fotogravador)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *