NotíciasEconomia

Governo barte o martelo e emite DECISÃO ÓTIMA hoje (11/07) para quem tem cartão de crédito final 0,1,2,3,4 a até 9

Governo Federal emite excelente notícia para brasileiros que tem CARTÃO DE CRÉDITO

Governo Federal emite excelente notícia para brasileiros que tem CARTÃO DE CRÉDITO
Governo Federal emite excelente notícia para brasileiros que tem CARTÃO DE CRÉDITO | Foto: reprodução / fdr

A partir de 1º de julho, os brasileiros com dívidas no cartão de crédito rotativo podem transferir gratuitamente o saldo devedor entre instituições financeiras. Esta medida, determinada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), visa oferecer melhores condições de pagamento.

Para realizar a portabilidade, o consumidor deve solicitar informações sobre sua dívida na instituição financeira original e negociar uma nova operação de crédito com outra instituição que ofereça condições mais vantajosas. A seguir, veremos em detalhes como esse procedimento funciona!

Passos para solicitar a portabilidade de crédito

  1. Solicitação de Informações: O cliente deve obter dados sobre sua dívida na instituição original, incluindo saldo devedor, parcelas restantes e taxas de juros.
  2. Negociação com a Nova Instituição: Com as informações em mãos, o cliente negocia uma nova operação de crédito com outra instituição.
  3. Quitação da Dívida Original: Os recursos da nova operação são usados para quitar o saldo devedor na instituição original. A transferência de dinheiro é feita diretamente entre as instituições, sem custos adicionais para o cliente.
  4. Contraproposta da Instituição Original: A instituição original pode oferecer uma contraproposta, que deve ter, no mínimo, o mesmo prazo da nova operação para que o cliente possa comparar os custos.

Cuidados com a portabilidade de crédito

Ao considerar a portabilidade de crédito, é importante entender que tanto consumidores quanto bancos farão avaliações detalhadas. Segundo o educador financeiro Raul Sena, instituições financeiras avaliarão o risco de crédito do cliente antes de aceitar a portabilidade. Portanto, se o risco de inadimplência for alto, pode ser difícil encontrar uma instituição que ofereça melhores condições.

“Os bancos e financeiras vão continuar fazendo as contas também, do lado deles, para saber se aceitam o risco daquele cliente não pagar. Então, acredito que não seja tão fácil assim trocar de credor e conseguir reduzir os juros, se o risco de crédito da pessoa for alto demais”, afirma Raul.

Já Ione Amorim, do Idec, destaca a importância de entender os termos e juros envolvidos na portabilidade, especialmente em casos de dívidas acumuladas com altos juros. Comparar propostas de forma criteriosa é essencial para evitar condições desfavoráveis.

Ela exemplifica com uma pessoa que possui um cartão de loja com uma taxa de juros anual de 700% e decide fazer a portabilidade para uma instituição que oferece uma taxa de 300% ao ano. Ione aponta que é provável que as multas já aplicadas não sejam reconsideradas.

“Essa pessoa vai levar a dívida cheia da instituição? Falta clareza e transparência para o consumidor entender que está sendo assistido por uma política de juros que traga essa redução”, diz.

Transparência nas faturas do CARTÃO DE CRÉDITO

O CMN também estabeleceu novas regras para garantir maior transparência nas faturas de cartão de crédito. As faturas agora devem conter três áreas distintas:

  • Área de Destaque: com informações essenciais como valor total e data de vencimento.
  • Área para Alternativas de Pagamento: com detalhes sobre pagamento mínimo, encargos, opções de financiamento e taxas de juros.
  • Área com Informações Complementares: com lançamentos na conta, juros cobrados, tarifas e limites individuais.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *