EconomiaBenefícios SociaisBolsa FamíliaGeral

AVISO GERAL HOJE (27/06) sobre novo empréstimo de R$21.000 para quem tem CPF sujo e recebe o Bolsa Família

Bolsa Família
Bolsa Família| Foto: reprodução / guiadeservicos

O governo federal recentemente lançou uma iniciativa com o objetivo de impulsionar o empreendedorismo e combater a pobreza no Brasil – o programa Acredita. Os valores podem chegar a quase R$21 mil.

Destinado a beneficiários do Cadastro Único e pequenos empresários, este programa promete ser um alívio significativo para milhares de famílias brasileiras, oferecendo acesso a crédito com condições atraentes e um processo simplificado.

Confira os principais aspectos do programa Acredita, incluindo sua disponibilidade, valores, taxas de juros e requisitos de elegibilidade.

Também abordaremos a importância desta iniciativa para a inclusão financeira e o desenvolvimento socioeconômico em diversas regiões do país.

Como funciona o Programa Acredita

  • De acordo com Saulo Moreira, do site Revista dos Benefícios, o programa Acredita surge como uma solução inovadora e inclusiva para fomentar o empreendedorismo e combater a pobreza no Brasil.
  • Com condições atraentes, como baixas taxas de juros e ampla elegibilidade, esta iniciativa tem o potencial de transformar a vida de milhares de famílias.
  • Uma das características-chave do Acredita é sua abordagem acessível e eficaz.
  • O programa visa simplificar os processos, tornando o acesso ao crédito mais fácil e ágil para os beneficiários.
  • Além disso, uma diferença importante é a inclusão de pessoas com nome sujo, permitindo que mesmo aqueles com dificuldades financeiras possam ter uma chance de recomeçar e investir em seus pequenos negócios.

Valores de até R$21 mil reais para os participantes

A partir de julho de 2024, o crédito do programa Acredita estará disponível. Os valores de empréstimo variam entre R$ 6.000 e R$ 21.000, atendendo tanto a pequenos empreendedores iniciantes quanto aqueles que necessitam de um capital maior para a expansão de seus negócios.

Essa faixa de valores foi cuidadosamente escolhida para abranger uma ampla gama de necessidades financeiras.

Até 2026, a expectativa é que cerca de 1,25 milhão de transações de microcrédito sejam realizadas através deste programa, representando um impacto significativo na economia local e no fortalecimento de pequenos negócios em várias comunidades.

Um dos principais atrativos do programa Acredita são suas taxas de juros. Baseadas na taxa Selic mais 5% ao ano, estas taxas estão entre as mais baixas do mercado para este tipo de crédito. Essa condição torna o pagamento das parcelas mais acessível, reduzindo o ônus financeiro para os beneficiários.

As regulamentações detalhadas sobre as taxas e outras condições do programa serão publicadas em julho de 2024. Essa divulgação será fundamental para que os interessados possam se planejar e compreender exatamente como funcionará o processo de solicitação e pagamento do crédito.

Quem pode participar

O programa Acredita é extremamente inclusivo em termos de elegibilidade. Todos os inscritos no Cadastro Único, incluindo os beneficiários do Bolsa Família e pessoas com nome sujo, podem solicitar o crédito. Essa abertura é essencial para oferecer oportunidades a quem mais necessita, independentemente de seu histórico financeiro.

O pagamento das parcelas será feito por meio de débito automático na conta corrente dos solicitantes, seguindo um modelo similar ao do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronamp).

Esse método facilita o controle e a regularidade dos pagamentos, reduzindo o risco de inadimplência e garantindo a sustentabilidade do programa.

Solicitação e análise do Crédito Acredita

Os beneficiários que obtiveram crédito anteriormente pelo Auxílio Brasil também podem solicitar o novo crédito do programa Acredita. A aprovação dependerá da análise feita pelos bancos parceiros, principalmente o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal.

Esses bancos serão responsáveis por avaliar a capacidade de pagamento dos solicitantes e garantir que os recursos sejam usados de forma eficaz e responsável.

A análise de crédito considerará vários fatores, incluindo a viabilidade do negócio, o histórico financeiro do solicitante e sua capacidade de pagamento. O objetivo é assegurar que o crédito concedido realmente contribua para o desenvolvimento dos negócios e a melhoria das condições de vida dos beneficiários.

Carolina Ramos Farias

Redatora do Revista dos Benefícios, é Graduada pela Universidade do Estado da Bahia - UNEB. Especialista em redação sobre Direitos do Trabalhador e Benefícios Sociais