Revista dos Benefícios

ADEUS DINHEIRO DE PAPEL! Anúncio do Banco Central crava nova moeda, substituta do real em 2024

ADEUS DINHEIRO DE PAPEL! Anúncio do Banco Central crava nova moeda, substituta do real em 2024
ADEUS DINHEIRO DE PAPEL! Anúncio do Banco Central crava nova moeda, substituta do real em 2024 – Imagem: Reprodução.

O Banco Central (BC), também conhecido como Bacen, exerce um papel fundamental no gerenciamento do meio circulante brasileiro.

Além de garantir o fornecimento adequado de dinheiro à população, o BC busca manter a estabilidade do poder de compra da moeda, promover um sistema financeiro sólido e fomentar o bem-estar econômico da sociedade.

Tendo em vista esses objetivos, o Banco Central anunciou a possível substituição do dinheiro físico por uma nova moeda digital chamada DREX.

O papel do Banco Central na economia brasileira

O Banco Central desempenha diversas funções essenciais para o bom funcionamento da economia brasileira.

Além de regular o sistema financeiro e garantir a estabilidade do poder de compra da moeda, ele também atua como intermediário em casos de falência de bancos e no desenvolvimento de inovações em ferramentas financeiras.

Um exemplo recente dessa capacidade de inovação foi a criação do PIX em 2020. O PIX revolucionou a forma como os brasileiros realizam pagamentos, tornando-se o método mais utilizado no país. Com o sucesso do PIX, muitos estabelecimentos abandonaram o dinheiro em papel, aderindo às transações digitais.

A chegada do DREX e o fim do dinheiro físico

Nos últimos meses, tem se falado muito sobre a chegada de uma nova moeda digital, o DREX, que pode significar o fim do dinheiro físico.

Essa mudança já era esperada, uma vez que existem projetos de lei em andamento na Câmara dos Deputados que visam abolir o uso de dinheiro em espécie em todas as transações financeiras do país.

Um dos projetos de lei em tramitação é o PL 4068/20, proposto pelo deputado Reginaldo Lopes (PT-MG). Esse projeto tornaria obrigatório o uso de meios digitais para pagamentos, eliminando a circulação de dinheiro em papel.

Atualmente, o projeto aguarda parecer de três comissões na Câmara dos Deputados. Essa possível substituição do dinheiro físico pelo DREX tem despertado o interesse do público e do setor financeiro.

Tanto a Caixa Econômica Federal quanto o Banco do Brasil já realizaram as primeiras transferências com o DREX em um ambiente de testes do Banco Central. A expectativa é que a nova moeda seja liberada para o público até o fim de 2024.

O que esperar do DREX e como ele impactará a vida dos brasileiros

Com a chegada do DREX, tanto empresas quanto pessoas físicas sentirão os impactos dessa mudança. Emitida e regulada pelo Banco Central, a moeda digital será utilizada para transações como compras, pagamentos e recebimentos.

Para as empresas, essa nova tecnologia abrirá espaço para a criação de novos modelos de negócios e serviços. Já para as pessoas físicas, o DREX permitirá o acesso a uma série de serviços financeiros desenvolvidos especificamente para a moeda digital.

Contas digitais, aplicativos e plataformas de pagamento serão alguns dos recursos disponíveis. É importante destacar que o DREX não deve ser confundido com o PIX, que é apenas um meio de pagamento. O DREX é a representação digital do real, sendo que 1 DREX será equivalente a R$1.

Uma das vantagens trazidas pelo DREX é a possibilidade de transferir a moeda digital via PIX, tornando as transações ainda mais ágeis e práticas.

Além disso, a expectativa é que o DREX melhore e barateie os serviços financeiros, como o financiamento de imóveis, que poderá ser realizado em questão de horas.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação

Política de privacidade e cookies