Revista dos Benefícios

Lula tomou decisão DEFINITIVA no INSS e deixa beneficiários com CPFs finais 1,4,5,7,9,6,2,3,0 e 8 pulando de alegria

Lula tomou decisão DEFINITIVA no INSS e deixa beneficiários com CPFs finais 1,4,5,7,9,6,2,3,0 e 8 pulando de alegria
Lula tomou decisão DEFINITIVA no INSS e deixa beneficiários com CPFs finais 1,4,5,7,9,6,2,3,0 e 8 pulando de alegria – Imagem: Reprodução.

O Conselho Nacional de Previdência Social (CNPS) aprovou uma importante medida na tarde do último dia 24 que trará benefícios para os segurados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

A redução das taxas de juros do empréstimo consignado foi aprovada por 10 votos a 1, com representantes bancários sendo os únicos a votarem contra. Essa decisão foi tomada em uma reunião do CNPS e é mais uma etapa para que a medida seja implementada.

Empréstimo consignado do INSS

O empréstimo consignado é uma modalidade de crédito disponível para aposentados e pensionistas do INSS. Nesse tipo de empréstimo, o valor das parcelas é descontado diretamente do benefício mensal do segurado, o que facilita o pagamento e oferece taxas de juros mais baixas em comparação a outras modalidades de crédito.

Agora, com a redução das taxas aprovada pelo CNPS, os segurados terão ainda mais vantagens ao contratar um empréstimo consignado.

De acordo com as novas regras, a taxa mensal do empréstimo pessoal consignado passará de 1,72% para 1,68%. Já os juros do cartão de crédito consignado e do cartão de benefício diminuirão de 2,55% para 2,49%.

Essa redução nas taxas de juros é uma excelente notícia para os segurados, pois significa que eles terão menores custos ao contratar um empréstimo consignado.

Limite máximo de comprometimento e parcelamento

É importante destacar que o empréstimo consignado possui um limite máximo de comprometimento da renda mensal do segurado.

Atualmente, esse limite é de 45% da renda mensal, distribuídos entre 35% para o empréstimo pessoal, 5% para o cartão de crédito e 5% para o cartão de benefício.

Essa medida visa garantir que o segurado não comprometa uma parcela muito grande de sua renda com o pagamento das parcelas do empréstimo.

Além disso, o empréstimo consignado do INSS oferece um prazo de parcelamento de até 84 meses, permitindo que o segurado tenha uma maior flexibilidade para pagar as parcelas do empréstimo.

Essa é uma vantagem importante, pois permite que o segurado escolha um prazo que se adeque às suas necessidades e possibilidades financeiras.

Regulamentação e ajuste das taxas

A redução das taxas de juros do empréstimo consignado do INSS foi aprovada pelo CNPS, mas ainda precisa passar pela regulamentação do Ministério da Previdência.

Essa regulamentação deve ocorrer em até cinco dias após a aprovação da medida. Após a regulamentação, as instituições financeiras que oferecem empréstimos consignados terão que ajustar suas taxas de acordo com as novas regras.

Essa redução das taxas de juros do empréstimo consignado segue a tendência de queda da Selic, que é a taxa básica de juros da economia. A Selic é o principal instrumento de política monetária utilizado pelo Banco Central para controlar a inflação.

A redução das taxas de juros do empréstimo consignado está alinhada com a proposta do ministro da Previdência, Carlos Lupi, de reduzir os juros do crédito consignado.

Benefícios para os segurados

A redução das taxas de juros do empréstimo consignado do INSS trará diversos benefícios para os segurados.

Com taxas mais baixas, os segurados terão menores custos ao contratar um empréstimo consignado, o que significa que eles poderão obter um crédito com juros mais baixos e parcelas mais acessíveis.

Essa medida também pode incentivar o aumento da procura pelo empréstimo consignado, já que as taxas de juros mais baixas tornam essa modalidade de crédito ainda mais atrativa.

Ademais, o empréstimo consignado pode ser uma opção interessante para os segurados que precisam de um crédito rápido e com condições favoráveis.

É importante destacar que a redução das taxas de juros do empréstimo consignado do INSS é resultado de uma série de discussões e negociações entre o governo, o CNPS e as instituições financeiras. Essa medida representa um avanço na busca por melhores condições de crédito para os segurados do INSS.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação

Política de privacidade e cookies