Direitos do TrabalhadorGeralINSS

IDOSOS de 60,61,62,63,64,65 anos e até mais comemoram nova decisão do INSS que vai facilitar suas vidas

IDOSOS de 60,61,62,63,64,65 anos e até mais comemoram nova decisão do INSS que vai facilitar suas vidas
IDOSOS de 60,61,62,63,64,65 anos e até mais comemoram nova decisão do INSS que vai facilitar suas vidas – Imagem: Reprodução.

Os idosos que recebem algum salário vitalício do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) já podem respirar aliviados.

Foi decidido pelo Ministério da Previdência Social, e confirmado pelo Instituto, que não haverá bloqueio dos pagamentos por falta de prova de vida. Essa decisão é válida enquanto o decreto estiver vigente, e ele já foi publicado.

Em fevereiro, o INSS anunciou que mais de 4 milhões de pessoas corriam o risco de perder o seu salário. O motivo era que elas não foram encontradas para comprovação de vida, e por isso teriam que comparecer até uma agência da Previdência, ou no banco pagador.

Essa decisão gerou euforia entre os aposentados, mas foi cancelada pelo governo federal. A prova de vida continua sendo uma responsabilidade do poder público, e já não vai gerar bloqueio nos pagamentos.

Mudanças na prova de vida dos aposentados do INSS

O governo implementou duas principais alterações para a prova de vida dos segurados do INSS:

  • Não haverá bloqueio de pagamento por falta da prova de vida até 31 de dezembro de 2024;
  • O período de contagem para uma nova comprovação passa a ser a partir da data da última atualização do benefício ou da última prova de vida.

Essas mudanças têm como objetivo otimizar os atendimentos e desafogar as agências do INSS. Um exemplo é a autorização para que o pedido do auxílio-doença seja entregue nos Correios.

Como será a prova de vida?

Apesar das mudanças, a prova de vida não deixará de existir. O que muda é a forma como ela será feita. Desde 2022, o INSS é responsável por buscar a comprovação da vida do segurado, utilizando informações da base de dados do governo.

Diversas ações podem servir como prova de vida, desde o acesso ao aplicativo Meu INSS com o selo ouro ou outros aplicativos e sistemas dos órgãos públicos, até a realização de perícia médica, atendimento no sistema público de saúde ou na rede conveniada, vacinação, votação nas eleições e muito mais.

Com essas medidas, o governo busca tornar o processo de prova de vida mais simplificado e ágil, evitando transtornos para os idosos beneficiários do INSS.

É importante ressaltar que essas mudanças são válidas até o final de 2024, e a comprovação de vida continuará sendo necessária, mas sem o risco de bloqueio dos pagamentos.

Dicas para realizar a prova de vida com sucesso

A prova de vida é um procedimento relativamente simples, mas algumas dicas podem ajudar os aposentados do INSS a realizá-la com sucesso. Veja a seguir algumas orientações importantes:

1. Fique atento aos prazos

Como mencionado anteriormente, o prazo para fazer a prova de vida é de até dez meses após o aniversário do segurado. Portanto, é essencial ficar atento a essa data e realizar o procedimento dentro do prazo estabelecido pelo INSS. Caso contrário, o benefício poderá ser suspenso.

2. Utilize os canais oficiais

O INSS disponibiliza diversos canais oficiais para a realização da prova de vida. É possível fazer o procedimento pelo aplicativo Meu INSS, pelo telefone 135 ou presencialmente nas agências do INSS. Evite realizar a prova de vida por meio de outros canais não autorizados, pois isso pode gerar problemas futuros.

3. Mantenha os dados atualizados

Como já mencionado, é fundamental manter os dados cadastrais atualizados no INSS. Isso inclui endereço, telefone, e-mail e outros dados pessoais. Dessa forma, o beneficiário receberá as notificações e orientações do INSS de forma correta e evitará problemas com a suspensão do benefício.

4. Esteja preparado com a documentação necessária

Ao realizar a prova de vida presencialmente, é importante estar preparado com a documentação necessária. Geralmente, são exigidos documentos de identificação, como RG e CPF, comprovante de residência atualizado e o cartão do benefício. Verifique com antecedência quais documentos são necessários para evitar contratempos.

Carolina Ramos Farias

Redatora do Revista dos Benefícios, é Graduada pela Universidade do Estado da Bahia - UNEB. Especialista em redação sobre Direitos do Trabalhador e Benefícios Sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *