Revista dos Benefícios

RISCO GRAVE! ANVISA baixa decreto proibição contra 3 marcas de óleo, sal e macarrão às pressas e PREOCUPA brasileiros

RISCO GRAVE! ANVISA baixa decreto proibição contra 3 marcas de óleo, sal e macarrão às pressas e PREOCUPA brasileiros
RISCO GRAVE! ANVISA baixa decreto proibição contra 3 marcas de óleo, sal e macarrão às pressas e PREOCUPA brasileiros – Imagem: Reprodução.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) desempenha um papel crucial na garantia da segurança e qualidade dos produtos e serviços que fazem parte do nosso cotidiano.

Recentemente, uma agência federal tomou medidas energéticas contra três marcas renomadas de alimentos, proibindo a comercialização, distribuição e uso de seus produtos.

Essas proibições envolveram uma marca de macarrão, uma de óleo e uma de sal, revelando a abrangência e o rigor da atuação da Anvisa em prol da saúde pública.

Confira os detalhes de cada um desses casos, entendendo os motivos que levaram a Anvisa a tomar tais decisões e as implicações para os consumidores e as empresas envolvidas.

Proibição da Marca de Macarrão

Em setembro de 2022, a Anvisa determinou o recolhimento de massas alimentícias da empresa Keishi (Bbbr Indústria e Comércio de Macarrão Ltda.), que utilizou o aditivo alimentar propilenoglicol, fornecido pela marca Tecno Clean Industrial Ltda.

A agência também proibiu a comercialização, distribuição e o uso desses produtos fabricados entre 25 de julho de 2022 e 24 de agosto do mesmo ano.

Segundo a Anvisa, a medida foi tomada após uma inspeção que acordos que a empresa Keishi adquiriu e usou uma substância contaminada como ingrediente na linha de produção de suas massas.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) informou que os lotes recolhidos pela Anvisa estavam contaminados pela substância tóxica propilenoglicol, a mesma que havia sido utilizada na fabricação de petiscos para cachorros e pode ter sido responsável pela morte de pelo menos 40 animais.

Em resposta à suspensão, a Keishi emitiu um comunicado esclarecendo que a ação da Anvisa foi preventiva e pontual, não tendo nenhuma ordem para paralisar as atividades ou interditar a fábrica.

A empresa afirmou que adquiriu uma substância contaminada de um fornecedor de boa-fé, com quem mantém relações comerciais de longa data e que tem nome respeitado no mercado.

A Keishi informou que está colaborando com a Anvisa e a Vigilância Sanitária no rastreamento e recolhimento dos produtos, o que elucida os fatos e preserva a saúde dos consumidores.

Proibição da Marca de Óleo

Em abril de 2023, a Anvisa proibiu a comercialização, distribuição e uso do lote nº 22211 do produto Óleo de Soja, marca Cocamar, com dados de fabricação em 13/05/2022 e dados de validade em 13/05/2023, fabricado pela Cocamar Cooperativa Agroindustrial.

A decisão da Anvisa foi motivada por um Laudo de Análise emitido pelo Instituto Adolfo Lutz, que acordos no lote do produto em questão um teor de gordura trans acima do permitido na legislação sanitária. Vale ressaltar que outras marcas famosas também foram notificadas pela Anvisa por motivos semelhantes.

Até o momento, não foram registradas notas oficiais ou manifestações da empresa Cocamar a respeito do ocorrido. O espaço permanece aberto para que a empresa possa expor sua versão dos fatos.

Proibição da Marca de Sal

Segundo informações do portal da Vigilância Sanitária de Santa Catarina, em abril de 2024, a Anvisa suspendeu a distribuição, distribuição, fabricação e uso do lote 1037 L A6 232 do produto Sal Rosa do Himalaia Iodado Moído, marca Kinino, produzido pela empresa HL do Brasil Indústria e Comércio de Produtos Alimentícios LTDA.

A medida foi motivada por um resultado insatisfatório no ensaio de determinação de Iodo adicionado na forma de Iodato, conforme Laudo de Análise Fiscal definitivo emitido pelo Centro de Laboratório Regional I – Instituto Adolfo Lutz Araçatuba.

A presença de iodo é essencial para a saúde da população, e sua deficiência pode causar problemas como o aumento da tireoide e a formação de bócio.

Até o momento, a empresa HL do Brasil Indústria e Comércio de Produtos Alimentícios LTDA (Kinino) não emitiu nenhuma nota oficial ou posicionamento a respeito da proibição imposta pela Anvisa. O espaço permanece aberto para que a empresa possa esclarecer sua versão dos fatos.

Anvisa na fiscalização de alimentos

A Anvisa desempenha um papel crucial na fiscalização de alimentos, exercendo diversas ações para garantir a segurança e a qualidade dos produtos consumidos pela população.

Entre essas ações, estão a apreensão, o recolhimento, a proibição e a suspensão de armazenamento, distribuição, distribuição, fabricação, importação, propaganda e/ou uso de produtos ou serviços considerados inadequados.

Ao identificar problemas em produtos alimentares, a Anvisa age de forma rápida e eficaz, impedindo que esses itens cheguem às mãos dos consumidores e, assim, evitando possíveis danos à saúde pública.

Essa vigilância constante e a adoção de medidas preventivas são fundamentais para garantir a segurança e a confiança dos cidadãos em relação aos alimentos disponíveis no mercado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação

Política de privacidade e cookies